Recomendações para Covid-19

Secções:

Estes conselhos em época de pandemia constituem uma orientação geral e não podem substituir uma avaliação clínica direta.

Sintomas de Covid-19

Os sintomas mais comuns do coronavírus COVID-19 são o início recente de:

  • tosse frequente e/ou temperatura alta

A febre deve ser controlada com paracetamol e deve ser evitado o ibuprofeno de acordo com algumas recomendações.

Para a maioria das pessoas, o novo coronavírus (COVID-19) será uma infecção sem gravidade mas algumas, principalmente com mais idade e fatores de risco, poderão ter uma doença muito grave com necessidade de ventilação. É fundamental que todos colaborem no controlo da propagação pois pode contagiar pessoas que vão ter doença grave e, se a situação ficar descontrolada, haverá colapso do SNS sem possibilidade de oferecer o tratamento necessário a quem precisa, com aumento da mortalidade.

Consultas e doença durante a pandemia

Deve EVITAR ir diretamente às urgências hospitalares nesta altura a não ser que tenha alguma situação urgente como falta de ar, esforço respiratório aumentado, vómitos repetidos, prostração acentuada, alteração do estado de consciência ou deixar de urinar. Também dor ou aperto no peito, falta de força numa parte do corpo ou dificuldade em falar, convulsões, engasgamento, hemorragia abundante, queimadura grave, ferimento por acidente, ou suspeita de alguma doença que requeira tratamento urgente (ex: apendicite).

Se o seu problema parece preocupante mas não tem queixas respiratórias contacte o seu médico assistente se tiver essa possibilidade ou procure orientação no Centro de Saúde ou em consultas à distância (Teleconsulta). Se não conseguir resposta e a situação for urgente, terá de dirigir-se a uma consulta de urgência, atendimento médico permanente/não programado ou urgência hospitalar entrando no canal das pessoas sem queixas respiratórias. Ainda assim, procure manter o distanciamento social e reforço da higiene das mãos sabendo que podem existir pessoas assintomáticas que transmitem o vírus.

Em relação às consultas programadas, deverão ser convertidas em Teleconsultas sempre que possível. Poderá haver excepções na vigilância de crianças pequenas e pessoas com problemas especiais de saúde – aconselhe-se com o seu médico. Não deixe de vacinar o seu filho durante este período.

Medidas gerais para todos (mesmo sem suspeita de infeção com Covid-19)

Lave as mãos frequentemente ao longo do dia, lavando-as com água e sabão durante 20 segundos ou usando um desinfetante para as mãos. Ajuda a protegê-lo e também as outras pessoas à sua volta.

Cubra a sua tosse ou espirros com o cotovelo ou com lenços descartáveis.

– Se você tem um cuidador, este deve usar lenços descartáveis ​​para limpar qualquer muco ou catarro depois de espirrar ou tossir e deve lavar as mãos. Coloque os lenços num saco de lixo descartável e lave imediatamente as mãos com água e sabão ou use um desinfetante para as mãos.

Mantenha o distanciamento social mesmo que não esteja infetado nem de quarentena: evite sair de casa e procure manter a distância de 1 metro das outras pessoas fora de casa e cumprimentar sem contacto físico.

Máscaras – As máscaras faciais estão com problemas graves de stock e são indispensáveis no Hospital. Não contribua para este problema. Para além disso, existe pouca evidência de benefício do seu uso fora do contextos dos cuidados de saúde. No entanto, se receber cuidados de outra pessoa, pode ser solicitado que use uma máscara para minimizar o risco para o cuidador.

Infeções respiratórias não Covid-19 – Quando houver grande número de infeções na comunidade será difícil distinguir as pessoas que têm Covid-19 das quem têm constipação e gripe (principalmente nas crianças e em pessoas com doença leve). Os testes ajudam, mas não têm uma sensibilidade de 100%. Por este motivo, devem haver cuidados semelhantes de distanciamento social e contenção das secreções e contaminação para todas as pessoas com sintomas de infeção respiratória, durante o período que o médico ou que a Direção Geral de Saúde indicar.

Tenho diagnóstico Covid-19 suspeito ou confirmado e fui enviado para casa. E agora?

Com o aumento do número de infeções deixa de ser possível internar todos os infetados e o isolamento e vigilância dos casos som sintomas ligeiros a moderados passará provavelmente a ser feito em casa.

– Siga todas as instruções da DGS e Autoridades de Saúde. Se a sua situação não foi ainda notificada na linha telefónica ou por um médico, contacte a Linha SNS 24:  808 24 24 24 (vai demorar mas atende!) ou atendimento@sns24.gov.pt. Verifique as atualizações na Direção Geral de Saúde (DGS).

– Se ainda não o fez, planeie uma rede de apoio entre a sua família e amigos porque ficará impossibilitado de ser deslocar para obter o que precisa. Nesta época de crise, as pessoas são mais solidárias. Não se iniba de pedir ajuda!

– Tente antecipar o que vai precisar nos próximos tempos de forma a minimizar os contactos e o risco de contágio durante o período de isolamento.

– Deve ficar isolado num quarto da casa bem arejado e com a porta fechada. Deve dormir sozinho. Abra a janela se possível, mesmo por períodos, para circular e renovar o ar.

– Procure reservar uma  casa de banho só para si. Se não for possível, separe as zonas e objetos e limpe todas as superfícies em que tocou com um produto que destrua o vírus. Outra estratégia é ser o último a utilizar a casa de banho. Se for imprescindível a utilização da cozinha ou de outra divisão da casa como espaço partilhado, deve ter o mesmo tipo de cuidados.

– Mantenha-se isolado das outras pessoas. Quando não for possível, mantenha 2 metros (4 passos) de distância em relação às outras pessoas. Minimize o tempo passado em espaços partilhados tanto quanto possível e mantenha esses espaços bem arejados.

– Separe os seus utensílios pessoais: pratos, talheres, toalhas, panos ou roupas de cama. Não compartilhe alimentos e bebidas.

– Se mora sozinho com crianças e não tem quem fique com elas, siga estes conselhos o melhor possível. Entendemos que será mais difícil e todos na sua casa devem lavar as mãos regularmente, evitar tocar no rosto e limpar as superfícies frequentemente tocadas. Esta regra também se aplica com pessoas dependentes. Todos os contactos devem ficar em isolamento social 14 dias, mesmo que não tenham sintomas. Se desenvolverem sintomas, devem contactar a linha SNS 24.

Atualmente, não há evidências clínicas que sugiram que o vírus possa ser transmitido através do leite materno. Contudo, a infecção pode passar para o bebé da mesma maneira que para qualquer outro contacto próximo. Assim, será uma decisão individual que deverá ser discutida com um profissional de saúde. Se for decidido amamentar, tome precauções para limitar a possível propagação do COVID-19 ao bebé. Lave as mãos antes de tocar no bebé, bomba de leite ou biberão, use máscara e evite tossir ou espirrar enquanto amamenta. Tenha em atenção que a máscara também fica contaminada tal como as suas mãos de cada vez que toca na máscara.

Se utilizar biberão ou extrator de leite, esterilize o equipamento cuidadosamente antes de cada uso.

Limpeza e disposição de resíduos
Para efetuar limpeza e transporte de material contaminado use luvas preferencialmente. Tenha em atenção onde toca com as luvas, porque podem ficar contaminadas. É preferível a limpeza húmida (em vez do aspirador que faz circular as partículas pelo ar).

Se uma superfície contaminada parecer suja, faça uma primeira limpeza com detergente doméstico desengordurante. Depois conclua com a desinfeção usando lixívia doméstica (com concentração de pelo menos 5% de cloro livre), desinfectante ou álcool a 70º. TENHA O CUIDADO de não deixar estes produtos ao alcance das crianças. Se os objetos ou roupas o permitirem, podem ser lavados na máquina à temperatura mais alta que puderem suportar – ciclo de desinfeção pelo calor (pelo menos a 60ºC durante 30 minutos, ou entre 80-90ºC durante 10 minutos). Objetos que não possam ser descartáveis ou limpos com segurança devem ficar de quarentena em lugar seco e não acessível às outras pessoas pelos menos 72h (um estudo mais recente não apoia a estimativa inicial de sobrevivência do vírus no exterior até 9 dias).

Os resíduos pessoais (ex: lenços usados) e panos de limpeza descartáveis devem ser armazenados com segurança dentro de sacos de lixo descartáveis. Esses sacos devem ser colocados num segundo saco com a ajuda de outra pessoa se necessário, de forma que a parte exterior não fique contaminada. Devem ser amarrados com segurança e mantidos separados de outros resíduos. Se possível, deixe de lado por 72 horas antes de colocar no lixo comum. Outros resíduos domésticos podem ser descartados normalmente.

Lavandaria
Não sacuda a roupa suja para não correr o risco de dispersar o vírus pelo ar.

Lave as roupas conforme for apropriado, de acordo com as instruções do fabricante. Sempre que possível, lave a roupa que entrou em contacto com uma pessoa doente à parte e a 60 graus. Se não usar máquina de lavar, aguarde 9 dias antes de levar sua roupa a uma lavandaria.

O que pode fazer para ajudar a melhorar

Beba água para se manter hidratado; deve beber o suficiente durante o dia para que a sua urina fique com uma cor clara. Pode usar medicamentos sem receita, como o paracetamol. Use-os de acordo com as instruções da bula e não exceda a dose recomendada.

Ficar em casa tanto tempo isolado poderá ser pesado do ponto de vista psicológico. Procure manter-se em contacto com amigos através do telefone e das redes sociais. Existe um número recente de recursos online que ajudam a passar o tempo.

Se precisar de orientações, ligue para a linha SNS 24. Se for mesmo uma emergência com necessidade de ser transportado de ambulância para o Hospital (e só nesse caso), ligue para o 112.

Todas as consultas médicas e odontológicas de rotina geralmente devem ser canceladas enquanto estiver doente e em casa. Se estiver preocupado ou tiver sido solicitado a comparecer pessoalmente dentro do período em que estiver em casa, discuta essa questão com um profissional de saúde por telefone.

Visitas
Não convide nem permita que visitantes sociais, como amigos e familiares, entrem em sua casa. Se quiser falar com alguém que não é membro da sua família, use o telefone ou as redes sociais.

Animais domésticos
Atualmente, não há evidências de que animais de companhia ou animais de estimação, como cães e gatos, possam estar infectados com coronavírus (COVID-19).

Fim do isolamento. Sim, vai chegar esse dia!

Siga as instruções da linha Saude 24, da Autoridade de Saúde e dos Profissionais de Saúde sobre o fim do isolamento.

Veja também o seguinte vídeo:

O que fazer se tiver alguém infetado com Covid-19 em casa (SIC Notícias)

Esta página foi adaptada das seguintes recomendações:

https://www.gov.uk/government/publications/covid-19-stay-at-home-guidance/stay-at-home-guidance-for-people-with-confirmed-or-possible-coronavirus-covid-19-infection

https://www.dgs.pt/directrizes-da-dgs/orientacoes-e-circulares-informativas/orientacao-n-0082020-de-10032020-pdf.aspx

Versão 14-3-2020

Fonte da imagem do vírus

Partilhar
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestShare on Google+Email this to someone