Sobre os hábitos e os problemas do sono das crianças portuguesas

Foram recentemente publicados na Acta Pediátrica Portuguesa os resultados do Estudo dos Hábitos e Problemas do Sono dos 2 aos 10 anos, mostrando que a privação de sono e os sintomas das perturbações do sono são frequentes em Portugal.

A privação do sono adequado tem sido associada a efeitos negativos em diversos domínios, tais como o desempenho cognitivo e académico, a regulação emocional e do comportamento, o risco de quedas acidentais e de obesidade. Por sua vez, as perturbações do sono das crianças podem ter ainda repercussão na quantidade e da qualidade dos pais, afetando o seu bem estar e desempenho nas tarefas do dia a dia.

Por este motivo, é necessário continuar a investir na promoção da saúde nesta área.

RESUMO

Introdução: Embora seja cada vez mais reconhecida a importância do sono na criança, existem poucos dados recentes sobre esta matéria em Portugal, com amostras representativas e questionários validados.

Objetivos: Os objetivos deste estudo foram avaliar os hábitos e problemas do sono em crianças dos dois aos dez anos e estabelecer dados de referência para a versão portuguesa do Children’s Sleep Habits Questionnaire (CSHQ-PT).
Métodos: Trata-se de um estudo populacional, transversal. O CSHQ-PT foi entregue aos pais de 2257 crianças recrutadas em creches, jardins de infância e escolas das áreas da Grande Lisboa, Península de Setúbal e Alentejo, regiões onde reside um terço das crianças portuguesas de dois a dez anos.
Resultados: Foram incluídos no estudo os questionários relativos a 1450 crianças. A idade média das crianças foi 6,5 (desvio padrão 2,3) anos. A prevalência de problemas do sono referidos pelos pais foi de 10,4%, sem diferenças significativas entre subgrupos de nível educacional dos pais nem entre zonas de média-alta e baixa densidade populacional. Estes problemas do sono mostram-se associados sobretudo à duração do sono, resistência em ir para a cama, ansiedade associada ao sono, despertares noturnos e parassónias. A baixa prevalência de problemas do sono identificados pelos pais contrasta com cotações elevadas no CSHQ-PT que traduzem comportamentos-problema mais frequentes. Considerando valores de referência de outros países, verificou-se que 10% das crianças tinham uma duração do sono dois desvios-padrão abaixo da média. A menor duração do sono mostrou associação com a sonolência diurna.
Conclusão: Os problemas comportamentais do sono e a privação de sono são prevalentes em Portugal, pelo que existem oportunidades de intervenção nesta área.
Outros links

Partilhar
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestShare on Google+Email this to someone

Filipe Glória Silva

Pediatra do Desenvolvimento Developmental Pediatrician

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Verificação anti SPAM * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.